• Feijão Guandu

    Um produto selecionado pelos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo

Patrick Assumpção e os chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo

Uma simbiose na lavoura

Criado em uma família de produtores rurais, Patrick Assumpção se mudou para Pindamonhagaba em 1997 para assumir o cultivo silvícola da fazenda Coruputuba. O seu trabalho de reflorestamento de antigos arrozais com árvores nativas chamou a atenção da Agência Paulista de Tecnologia em Agronegócios, interessada no plantio de espécies além do eucalipto. Nas conversas, foi apresentado o sistema agroflorestal, que consiste em cultivos de alimentos entre as árvores destinadas à produção de madeira. Cada cultura contribui para a melhor nutrição do solo, fazendo com que, nesse processo, o desenvolvimento de uma cultura coopere para o crescimento de outra.

O sistema foi implementado e o feijão guandu estava entre as espécies selecionadas por sua qualidade como adubo verde. Apesar do uso frequente como adubo e forragem, o guandu já foi cultivado para alimentação em todo o país, mas perdeu terreno como opção para o cotidiano para o carioquinha, espécie mais produtiva e adaptável. A curiosidade de Patrick deu outro fim à leguminosa, que foi parar nas mãos dos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo. “O feijão guandu é ótimo para saladas e vinagretes e até no baião de dois, porque ele aporta sabor e textura firme”, explica Helena, que criou uma receita de baião de dois com o ingrediente.

Feijão Guandu

Além de uma nova possibilidade para a mesa do dia-a-dia, o feijão guandu é uma oportunidade para o resgate do meio ambiente do Vale do Paraíba, uma das regiões com solos mais empobrecidos do país. A simbiose de culturas do sistema agroflorestal é muito benéfica na recuperação de áreas degradadas e um apoio financeiro – correspondente a 25% dos resultados gerados pela venda do produto, doado por Alex Atala – vai permitir a estruturação de uma rede de cultura agroflorestal, com o objetivo de incentivar os pequenos agricultores da região a adotarem esse método. “São iniciativas como essa da Retratos do Gosto que podem resgatar definitivamente produtos tipicamente brasileiros para a mesa da maioria dos brasileiros”, comenta Patrick Assumpção.